Notícia
POLICIA
Empresário ladarense é preso por estupro de vulnerável e exploração sexual
12/08/2019

Fonte: Diario Corumbaense

Empresário de 63 anos, da cidade de Ladário, foi preso por estupro de vulnerável e favorecimento de exploração sexual de adolescentes. Ele está detido desde o dia 29 de julho, mas só agora, com a conclusão do inquérito policial, as informações sobre o caso foram divulgadas. De acordo com a Polícia Civil daquela cidade, o acusado explorava sexualmente famílias carentes, de baixa renda, se favorecendo de sua boa condição financeira, para praticar o crime.

 

Ainda de acordo com as investigações, o autor oferecia dinheiro, presentes, roupas, calçados, tratamento em cabeleireiro, academia, compras em mercados, entre outras coisas, em troca de favores sexuais com adolescentes, em alguns casos, com a conivência dos próprios pais.

Os policiais confirmaram que o empresário estuprou uma garota de 13 anos de idade, quando a chamou para passear de carro e fazerem compras sozinhos, momento que teria aproveitado para "acariciar" suas partes íntimas. O acusado, ainda  pedia para a adolescente encaminhar fotografias íntimas, completamente nua.  

Além disso, ainda foi apurado que ele explorava sexualmente mais duas adolescentes, primas da menor de 13 anos, pedindo fotografias íntimas, dando presentes, pagando academia, tratamento odontológico, tudo em troca de "favores sexuais". Em um dos casos, ele favorecia uma das vítimas aliciadas, com uma casa, para a família dela morar.

Conhecido na cidade

A investigação aponta que o homem é conhecido e bem relacionado na cidade ladarense, o que faz com que outras pessoas, ainda que se mostrem indignadas, não queiram colaborar com a investigação, assim como a própria família da vítima, pois de origem humilde, eram sustentadas financeiramente por ele.

O empresário foi preso no dia 29 de julho em cumprimento a mandado judicial de prisão preventiva, e, depois de esgotado o prazo legal de dez dias, concluída a investigação, ele foi indiciado pelos crimes hediondos de estupro de vulnerável, com pena de 8 a 15 anos de reclusão, e de favorecimento de exploração sexual de adolescente, com pena de 4 a 10 anos de prisão.

 

Embora concluída a investigação, os trabalhos da Polícia Civil continuam. Com a divulgação do caso, os policiais orientam que outras possíveis vítimas que tenham sofrido abusos sexuais do empresário, que procurem a delegacia para serem ouvidas.

Deixe seu comentário
Comentário padrão, código aqui

Grupo Pantanal de Comunicação - Corumbá - MS